O filme Edward Mãos-de-Tesoura e opinião dos outros

 
O filme Edward Mãos-de-Tesoura, (1990), do genial diretor Tim Burton, é numa história amor inspirada em clássicos como Frankstein e A Bela e a Fera. Na fábula, Vincent Price é o inventor, que faz a criatura “Edward” (Johnny Depp) e morre antes de substituir as tesouras que lhe servem de mãos. 
 
O filme ridiculariza pessoas que mascaram seus defeitos, esquisitices e peculiaridades, para serem aceitas pela sociedade e o que elas fazem para estarem dentro dos padrões de ‘normalidade’ preestabelecidos.
Nele, Edward ama Kim Boggs (Winona Ryder) e ela a ele. E daí que Kim gosta do “Frankstein”? Afinal, ele é um “monstro” talentoso. Por vários motivos, os dois não ficam juntos. Entre eles a estranheza do próprio Ed, a opinião errada dos outros em relação ao “monstro” e o fato dele, Ed, tê-la machucado enquanto esculpia uma de suas esculturas de gelo. Sem querer, claro. 
 
A moral do filme é: só você sabe o que há dentro de seu coração. Independente da “sina” que parece ser irremediável, você pode fazer a coisa dar certo. Seja lá qual for a opinião dos outros. Pois se não rolar a atitude, o final da história é o mesmo. Edward Mãos-de-Tesoura mora no Castelo no alto da colina e Kim no vilarejo abaixo. Eles se amam pra sempre, mas sem ficar juntos. 
 

Elton Tavares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *