O gato e as suicidas – Miniconto de Lulih Rojanski

Miniconto de Lulih Rojanski

Um gato do avesso no canto do sofá testemunhou, com um olho só, o curioso voo da poetisa Ana Cristina Cesar do oitavo andar.

Do lado de fora de uma janela de vidros, um gato, impávido, sentiu o penúltimo suspiro da poeta Sylvia Plath diante da válvula de gás.

Um gato que ressonava sob uma árvore no campo ouviu o revolver das águas que engoliram o corpo esquálido e vestido de pedras da escritora Virginia Woolf.

O frasco dos barbitúricos que adormeceram para sempre a poetisa Florbela Espanca despencou do criado mudo, despertando o gato do longo sono da tarde.

Da varanda de uma antiga casa de praia, um gato sonolento viu as altas águas do mar embalando o corpo transbordante de amor e amargura da poeta Alfonsina Storni.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *