O RACISMO EMBUTIDO NA UNIFAP – Texto de Fernando Canto

Os amigos Fernando Canto e Alzira Nogueira, ambos respeitados no meio acadêmico e cultural do Amapá, apoiam a candidatura da professora doutora Piedade Videira para reitora da Universidade Federal do Amapá (Unifap) e o professor Lúcio Viana para vice-reitor. Por conta disso, também me engajo nessa campanha.

Segue o texto do Fernando pelo fim do preconceito e unificação da Unifap:

O RACISMO EMBUTIDO NA UNIFAP – Por Fernando Canto

Ontem fui surpreendido por uma atitude vil e grosseira vinda de uma pessoa por quem eu tinha certa consideração. Ainda pasmo com a situação vi o ditado popular “de onde não se espera de lá é que vem” se consolidar diante do fato.

Por apoiar a chapa 40 Unificação encabeçada pelos professores Piedade e Lúcio ao processo de Consulta Prévia para reitor da Unifap, e publicado um vídeo justificando minha opção nas redes sociais, senti todo o ódio, o preconceito e a inveja se derramarem diante dos meus olhos pasmos. A pessoa, que conheço há anos, era um servidor técnico em Patologia da nossa IFES, lotado em um laboratório de BIOLOGIA.

Ele afirmou, diante de testemunhas, que: “se a Piedade fosse eleita ela iria levar só negros para a administração da Unifap”. Na ocasião o jornalista Jorge Herberth, que também está na campanha, lhe perguntou se isso era um problema, ele redarguiu com impropérios e insultos a Jorge e a mim de uma forma que nem os boca-sujas mais nojentos dos piores meretrícios ousariam proferir. Antes que a conversa tomasse um rumo mais violento do que suas palavras torpes, fomos embora.

Agora fico pensando o que faz uma campanha para a escolha de um reitor em uma instituição que necessariamente ensinaria a pensar, que primaria pela diferença e pelas liberdades democráticas num sentido civilizatório amplo e irrestrito. Minha reflexão é que muitos desses tais servidores não têm o preparo para cumprirem seus papéis como cidadãos e servidores de fato de uma Universidade. Neles se aloja miseravelmente ainda o racismo e a intolerância, o ódio, a inveja e a negação inequívoca que somos um país de maioria negra. E assim devem pensar muitos dos membros da chapa apoiada pelo tal servidor, ao verem crescer a candidatura de Piedade Videira, que é Professora Doutora e MULHER NEGRA, com uma carreira sólida e competente, mas que enfrentou muitos obstáculos em sua vida acadêmica e profissional pelo fato de ser mulher, negra e oriunda de família humilde. A diferença é que Piedade ultrapassou essas barreiras por ser uma pessoa sensível, competente e muito inteligente. Bate neles, nos “brancos”, como um látego impiedoso, o medo e o desespero de perderem as eleições para reitor e verem ascender uma voz dissonante de todo um estereótipo que vige politicamente em nosso país.

Tenho esperança que um dia o racismo dentro (e fora) da Universidade seja execrado definitivamente, pois só assim teremos novos atores e novos profissionais conscientes de sua postura cidadã e não mais o racismo embutido nela, ocorrente de forma velada, latente, mas que expressa a infeliz ideia do servidor técnico em Laboratório (e de muitos, por tabela, diria), posta a fora pela infalível ação contida no provérbio latino “in vino veritas”.

Agora, enquanto o tal laboratorista lava seus ressentimentos em água impura, sou consciente de que nossa utopia é pulsante, porque, antes de tudo, abraça um mundo realista e pragmático em uma Universidade de Verdade que queremos para todos os amapaenses. Portanto, Votem na chapa 40. Obrigado.

Sobre Piedade

Piedade Lino Videira é Graduada em Educação Artística com Habilitação em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Amapá – UNIFAP. Psicopedagoga pela Faculdade de Macapá – FAMA. Mestre e Doutora em Educação Brasileira pelo Programa de Pós-graduação Stricto Sensu da Faculdade de Educação – FACED da Universidade Federal do Ceará – UFC. Eixo Temático de Pesquisa: Movimentos Sociais, Educação Popular e Escola. Linha teórica: Sociopoética, Cultura e Relações Étnico-Raciais. Professora Adjunta da Universidade Federal do Amapá, lotada no Curso de Pedagogia. Líder do Grupo de Estudo, Pesquisa, Extensão e Intervenção em Corporeidade, Artes, Cultura e Relações Étnico-Raciais com Ênfase em Educação Quilombola -certificado pelo CNPq.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *