O Show do Matanza em Macapá foi porrada seca!


Quem me conhece sabe, amo o rock, mas não sou um grande fã de metal. Gosto muito das bandas clássicas e de algumas locais. Alguns amigos me acusam de gostar de roquinho, tentando menosprezar minhas preferências sobre o maior gênero musical do mundo. 

Ontem (14), fui ao show da banda carioca Matanza, trazida a Macapá pela loja Na Base Skate Shop, para celebrar os cinco anos do estabelecimento que faz a alegria dos pilotos de carrinho do Amapá. Aliás, uma grande sacada, para a nossa alegria (minha única crítica é por que cerveja “Nova Schin” meu Deus?). 


Bom, voltemos ao show, realizado na Associação Atlética do Banco do Brasil (AABB). Eu sacava algumas músicas do Matanza e achava engraçado. Cheguei, acompanhado da minha namorada, me perguntando que porra era a vertente chamada de “country-hardcore”?

Antes do show, nada de novo. Todo mundo devidamente vestido de preto, com camisetas de bandas clássicas do chamado rock peso. Também sabia que seria um festival de caras de mau e o (de praxe) chifrinho feito com a as mãos, que a maioria das pessoas fazem em um show de rock.

O show foi uma mistura de elementos, som pesado, crueza, letras irônicas e desbocadas. A galera, público bacana para os padrões de Macapá, foi à loucura e fez a sua parte, curtiu com pulos e os berros. Dou o braço a torcer: as músicas são demais bacanas. 

Após a execução de algumas músicas, o vocalista da banda, Jimmy London (um gigante ruivo que parece ter saltado de um filme vicking), disse: “Vou dizer uma coisa que eu sempre digo, acompanahda de uma que eu nunca disse: ‘Puta que pariu Macapá!‘. Aí a metaleirada foi ao delírio.

Depois Jimmy London explicou porque gostaram da capital do Amapá: 

“Essa é a primeira vez que o Matanza vem a Macapá. Esperamos que seja a primeira de muitas. Primeiro porque estamos sendo muito bem tratados, segundo por estarmos nos divertindo pra caralho e terceiro porque vocês botam pra fuder”. Aí o pessoal pirou! 

Não sei quantas músicas a banda carioca tocou, mas foram muitas, muitas mesmo. Uma mais paidégua que a outra. Virei fã dos caras. O Show do Matanza em Macapá foi porrada seca!

Resumo da ópera: o som do Matanza é sujo, irônico e nada politicamente correto, mas é disso que gostamos, isso é o rock and roll. Parabéns ao pessoal da Na Base, da Deu Rock Comunicação e a todos que contribuíram direta ou indiretamente para o show, foi firme de mais!

* Fotos surrupiadas da Deu Rock Comunicação (Aline Vanessa, Cíntia Souza e Alenk Nobre)

Elton Tavares
  • Muito bom o Show do Matanza, Macapá esta bem na cena Punk, Ratos de Porão, Garotos Podres e Matanza, esta faltado agora entre outras bandas Devotos. VAleu.OSimar Pinheiro

  • Apesar de gostar muito de metal, achei q a banda tivesse um outro estilo ( a julgar pelas músicas que ouvi) e por isso n fui. No entanto, os comentários me levam a crer que a banda é foda mesmo! Mãããsss…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *