O voo de Seles (desejo sucesso a você, amigo) – @selesnafes

12376669_967369846681863_8457314216962119279_n
Hoje, no último dia de março de 2016, após 18 anos de atuação no jornalismo da Rede Amazônica, o jornalista Seles Nafes se despediu da empresa. O cara foi repórter, editor, produtor e apresentador dos jornais da emissora, afiliada da Rede Globo no Amapá.

Ele passou a semana publicando fotos com agradecimentos na rede social Facebook. Nas postagens, enalteceu toda a equipe. Desde outros jornalistas a cinegrafistas, editores de vídeo e demais membros da redação. Achei bacana!

A jornalista Aline Ferreira emocionou muita gente com as lágrimas no tchau ao parceiro de apresentação do APTV. Eu fui um deles.

Seles é paraense e mora em Macapá desde os anos 90. Mesma década em que começou a trabalhar em jornais impressos da capital amapaense. De lá pra cá, atuou também no rádio e na TV. Em 2013, começou a trabalhar com publicidade e em seguida lançou o site SelesNafes.Com. Aliás, agora ele se dedicará integralmente ao seu próprio veículo de comunicação, que, ao lado do G1, é um dos sites mais acessados do Amapá.

Quem me conhece sabe: não sou de puxar saco de ninguém, mas resolvi fazer esse registro por conta do apoio que Seles me deu desde que comecei nessa doideira de jornalismo.

O cara sempre me tratou bem. Tive uma passagem curta pela Rede Amazônica, mas ele nunca me tratou como foca. Ao contrário, costumava repetir que gente nova traz inovações. Por conta do gosto comum por Rock e cinema, começamos a bater papos descontraídos.

1012979_805674852818881_1518755725492588060_n (1)
Eu, Seles Nafes e Aline Ferreira – 2015

Duas coisas são inegáveis sobre o Seles Nafes: ele sempre me deu apoio e é bom jornalista. Assim como acontece comigo, muita gente não gosta do figura. É assim mesmo. Acredito que um tantão de leitores nem gostarão deste texto, mas não tô preocupado em agradar quem não entende de gratidão.

Claro que já ficamos putos um com o outro. Trocamos farpas uma ou duas vezes, mas até isso foi com respeito. Lembro quando o critiquei publicamente no Facebook e ele ficou chateado. Pedi desculpas por aquilo. Afinal, aonde o cara vai, diz que gosta do meu trampo. Como não dar valor a alguém que lhe apoia sem ganhar nada em troca? Reconhecimento não é regra geral, infelizmente.

Pelo profissional que é, pelo tratamento comigo, apoio, amizade e respeito, gosto do Seles. A ele, desejo sucesso. Vai lá, brother!

Elton Tavares

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *