Operação Ampere: Polícia Federal combate em licitações na Companhia de Eletricidade do Amapá

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira (2/2), a Operação Ampere com objetivo de desarticular esquema criminoso que atua desviando recursos públicos da União, mediante fraude à licitação e pagamento de propinas, em detrimento da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), no Amapá.

Cerca de 25 policiais federais dão cumprimento a cinco mandados de busca e apreensão em Macapá/AP. A ação é um desdobramento da Operação Diagnosis, deflagrada pela

Polícia Federal em maio de 2018. Naquela ocasião, foram cumpridos mandados nos estados do Amapá e do Pará em virtude do pagamento, com recurso público, de cifras milionárias a empresas que não tinham qualquer relação contratual com o governo.

As investigações apontaram para a existência de uma “sociedade informal” entre empresas e pessoas físicas, incluindo o sócio de uma empresa e o advogado de outra, para fraudar licitações e desviar recursos públicos. O montante desviado ainda não foi levantado.

Os investigados podem incorrer, na medida de suas responsabilidades, nos delitos de organização criminosa, corrupção ativa e corrupção passiva, fraude à licitação, tráfico de influência e lavagem de capitais. Uma vez condenados, podem cumprir penas que somadas chegam a 46 anos de reclusão.

Ampere é a unidade de medida de corrente elétrica, em razão dos desvios se darem em prejuízo da Companhia de Eletricidade do Amapá – CEA.

Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá
[email protected] | www.pf.gov.br
(96) 3213-7500

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *