PAC Patrimônio Histórico: Governo do Amapá garante aprovação da criação do Parque do Solstício em Calçoene

Como parte da política de valorização da história e da cultura do Amapá, o Governo do Estado garantiu aprovação da criação do Parque do Solstício, no município de Calçoene, dentro do Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) – Patrimônio Histórico, do Governo Federal.

A proposta foi apresentada pelo Núcleo de Pesquisa Arqueológica do Instituto de Pesquisa do Amapá (NuParq/Iepa) e aprovada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), na quinta-feira, 7. O reconhecimento é uma importante conquista para a preservação do patrimônio arqueológico amapaense.

“A equipe do Iepa está muito empolgada para ver o impacto positivo que essa iniciativa trará para o município de Calçoene e para todos os amapaenses. Com a criação do Parque do Solstício, a região vai poder celebrar e preservar esse patrimônio arqueológico, nos conectando ainda mais com a história e cultura do estado”, comemora o arqueólogo do Iepa, Lúcio Costa Leite.

A área destinada à criação do Parque do Solstício de Calçoene atualmente funciona como uma Base de Pesquisa do Iepa, onde o NuParq realiza pesquisas desde 2005. Esta iniciativa representa um passo importante na valorização e preservação da história na região.

No Amapá, duas propostas foram selecionadas. Além da criação do Parque do Solstício de Calçoene a Requalificação do Museu Histórico do Amapá Joaquim Caetano da Silva, em Macapá.

PAC Patrimônio Histórico

O Novo PAC Patrimônio Histórico representa um esforço do Governo Federal para preservar e promover a riqueza cultural do Brasil, com investimento significativo de aproximadamente R$ 712 milhões até 2026. O PAC está realizando obras em 139 locais, distribuídos em 35 municípios de 17 estados, em parceria com diversas instituições e órgãos governamentais.

Além disso, o programa está impulsionando 105 projetos de recuperação de patrimônios culturais em 83 municípios por todo o país. Esses esforços visam fortalecer a identidade e memória cultural, promovendo um vínculo ainda mais forte entre as comunidades e seus patrimônios.

Texto: Thaysa Ruane Neres Santos
Foto: Jadson Porto/Iepa
Secretaria de Estado da Comunicação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *