Passe livre: TRE-AP decreta prisão de gerente de 2 empresas que não colocaram ônibus nas ruas

Por Núbia Pacheco

O gerente de duas empresas de transporte coletivo foi preso em flagrante e levado a sede da Polícia Federal (PF) por não ter disponibilizado 100% da frota de ônibus conforme o previsto para o transporte gratuito em Macapá neste domingo (30), durante as eleições.

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Amapá, ele vai responder criminalmente por dois dispositivos: o não cumprimento do passe livre e por “causar embaraço” no dia da eleição.

O corregedor eleitoral do TRE, desembargador João Lages, informou que recebeu a denúncia no domingo pela manhã e que nas ruas constatou a falta de ônibus.

m seguida, houve uma reunião com os empresários responsáveis pelos coletivos, que teriam se comprometido a resolver o problema. No entanto, por volta das 15h, o TRE verificou que duas empresas não tinham cumprido o combinado e uma delas estava, segundo o corregedor eleitoral, com 100% da frota de ônibus no pátio da empresa.

“Nós desconfiamos que isso foi orquestrado, não foi uma conduta sem culpa, isso teve sim a sua gravidade. Nós não acreditamos que numa empresa de ônibus todos os motoristas não comparecessem no outro dia para trabalhar, isso é inadmissível para a democracia. A Justiça Eleitoral vai tomar todas as providências, como já tomou”, disse o corregedor.

A Companhia de Transportes e Trânsito de Macapá (CTMac) disse no domingo que houve baixa no número de coletivos porque os motoristas faltaram em função de comemorações após o jogo da Libertadores.

Por volta das 15h30 de domingo, o TRE expediu o mandado de prisão em flagrante do gerente das duas empresas. Ele vai responder por descumprir a decisão da gratuidade no transporte público e também por “causar embaraço” nas eleições.

“Não tenha dúvida que causou o embaraço enfermo e um transtorno talvez irreparável para democracia”, completou Lages.

O TRE informou ainda que tudo será apurado em ações penais nos quais serão anexados relatório da CTMac, fotografias, depoimentos e vídeos para a instrução criminal.

Moradores de diversos pontos de Macapá reclamaram que não conseguiram utilizar o transporte público ou que demorou mais de 3h para a chegada do coletivo.

O TRE informou que recebeu a denúncia e que as equipes foram às ruas e constataram a falta de ônibus.

O chefe do Departamento de Fiscalização e Vistoria da CTMac, Manoel Filho, disse que mesmo com a baixa em função da falta dos motoristas, já tomava providências e deveriam ser chamados motoristas que estavam de folga.

Gratuidade

Macapá adotou a gratuidade no transporte público no 2º turno conforme a decisão ministro Luís Roberto Barroso. Os ônibus deveriam trafegar no 2º turno das Eleições 2022 com 100% da frota das 7h às 19h e com passe livre.

Fonte: G1 Amapá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *