PF combate esquema criminoso de madeireiras no Amapá

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (27/8), a Operação Usurpação*, para desarticular associação criminosa voltada à comercialização ilegal de madeira e transferências fictícias de créditos florestais, no Amapá.

Na ação, que resulta de trabalho com apoio do Ministério Público Federal (MPF), cerca de 30 policiais federais dão cumprimento a 10 mandados de busca e apreensão em Macapá/AP, Pedra Branca do Amapari/AP e Tartarugalzinho/AP, além do cumprimento de 6 medidas cautelares de suspensão da atividade econômica de empresas integrantes da associação criminosa.

Durante a ação, foram presos em flagrante três homens, administradores das serrarias, por armazenamento de madeira ilegal em depósito, por receptação qualificada e falsidade ideológica. Um dos presos já havia sido detido em flagrante pelo mesmo crime, em junho deste ano. Também foram aprendidos 120m3 de madeira em tora e 325m3 de madeira serrada, sem origem comprovada.

As investigações, iniciadas após informações recebidas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), apontaram que o esquema criminoso composto por diversos empresários do ramo madeireiro atuavam sem autorização dos órgãos competentes na comercialização de madeira de origem ilegal e realizavam transferências fictícias de créditos florestais.

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de associação criminosa, falsidade ideológica, apresentar em procedimento administrativo relatório ambiental total ou parcialmente falso, lavagem de capitais e obstar ou dificultar a ação fiscalizadora do poder público no trato de questões ambientais. Se condenados, poderão cumprir pena de até 27 anos de reclusão.

* Usurpação de patrimônio público (madeira).

Comunicação Social da Polícia Federal no Amapá
[email protected] | www.pf.gov.br
(96) 3213-7500


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *