Planeta Amapari, um dos discos mais importantes da música amapaense, chega às plataformas digitais – Por Rebecca Braga (@rebeccabraga)

Por Rebecca Braga

Lançado pela primeira vez em 1996, Planeta Amapari juntou Val Milhomem, Zé Miguel e Joãozinho Gomes

“Somos cidadãos do mundo
Meio ET, meio tupi
Marcianos de arco e flecha
Astronautas waiãpi”

O trecho da canção que dá nome ao álbum Planeta Amapari carrega muito da atmosfera do disco. Composto quase todo no município de Serra do Navio, no Amapá, o álbum propõe uma viagem interplanetária. Nela, os Waiãpi, povo indígena que se concentra na região centro-oeste do estado do Amapá, receberia visitas de povos extraterrestres. Alienígenas meio ET, meio tupi despertam o imaginário de Val Milhomem, Zé Miguel e Joãozinho Gomes e são trazidos para a música e a poesia desses artistas.

Zé Miguel, Val Milhomem e Joãozinho Gomes

Idealizado como um trabalho colaborativo, o álbum inova de certa maneira por juntar três artistas com trabalhos consolidados como cantores e compositores num único projeto. Val Milhomem e Zé Miguel, artistas amapaenses, ambos com discos gravados, se juntam ao poeta paraense Joãozinho Gomes, cuja lista de parcerias e canções gravadas por outros artistas já era significativa, para compor e cantar juntos o Planeta Amapari.

O álbum foi lançado em 1996, em Macapá e Belém, tendo recebido em seguida as indicações a grandes prêmios, como o Prêmio Sharp da Música Brasileira (na época, o maior prêmio musical do país). Planeta Amapari ficou entre os quatro finalistas e se consolidou como um dos trabalhos mais importantes da música amapaense. Agora, o álbum que teve sua edição lançada somente em CD, ganha as plataformas digitais.

A Rádio Iara conversou com Joãozinho Gomes, sobre o relançamento do Planeta Amapari: “Lançar o álbum agora, nas plataformas o coloca à luz da atualidade, no foco da nova geração, mas também, oportuniza o público em geral que não teve acesso ao CD, a escutá-lo e conhecê-lo mais profundamente”, declara o autor.

Para Joãozinho, o Planeta Amapari foi a primeira experiência em estúdio: “Foi por meio dele que eu conheci a minha voz, que eu comecei a cantar, que eu subi pela primeira vez em um palco para me apresentar em um show, e isso mexeu muito com minha trajetória, me levou a ter uma atividade que até então eu só conhecia dos bastidores e das plateias”, nos conta o compositor que adotou o Amapá como sua casa há mais de 30 anos.

Poeta Joãozinho Gomes – Foto: O Canto da Amazônia

Dividindo-se entre música e literatura, Joãozinho destaca dois projetos aos quais tem se dedicado: O Eco Lógico de um Grito, que consiste em músicas com letras que se posicionam de forma contundente sobre as questões da Amazônia a partir da chegada do governo Bolsonaro; e A Cidade Mora em Mim (uma ode de amor a Macapá), projeto feito de canções que falam da relação amorosa entre o poeta e a sua cidade, e onde a cidade é uma pessoa e os diálogos nas letras soam como conversas de um namoro inusitado. E quem diria que não são?

Ainda esse ano, o poeta deve lançar um Songbook contendo uma parte de suas parcerias musicais pelo projeto Songbooks da Amazônia, que é um projeto da UFPA coordenado pelo músico e professor da Escola de Música da UFPA, Adalbert Carneiro; e o livro Semelhanças Desiguais, uma antologia contendo parte significativa das obras do artista. “Eu posso dizer que é (uma obra) pedagógica, pois, mostrará claramente a diferença entra a poesia que eu escrevo como letra para música, e a poesia que eu escrevo para ser publicada em livro”, revela o autor.

O poeta nos conta que esses são só parte dos inúmeros projetos que desenvolve com os parceiros. E sobre estes últimos declara: “Por serem muitos não dá para eu falar especificamente de cada um, então eu digo que todos são muito preciosos para mim. Não fossem eles, certamente, eu não teria tido de modo tranquilo, as doces conquista que tive e tenho, e não seria o artista feliz que eu sou”.

Joãozinho Gomes confessa ter dificuldades de pensar sobre como a cultura e os artistas têm sido tratados no Brasil, mas está otimista: “A esperança nos conforta, a fé nos orienta, e o amor é o que importa!”.

Planeta Amapari está disponível em:
Spotify: https://open.spotify.com/album/4D38IzQsYoQpWGELnsoeKc?si=gQ5zmU86TOuxaXWqZNrzCw
Youtube Music: https://music.youtube.com/playlist?list=OLAK5uy_ntFyvZLKjB2JWKuyfm8trs5q0nYh39OIA&feature=share
Deezer: https://deezer.page.link/nY9Li8Z3MFZxFaJQ9

Fonte: Rádio Web Lara

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.