Poema de agora: A Rosa – Pat Andrade

A Rosa

às vezes mudo de cor;
posso ser vermelha
quando estou cheia de amor.

fico boba e toda prosa
quando estou apaixonada
aí, visto pétalas cor-de-rosa.

se o mundo amanhece mais belo,
abro-me bem devagar,
vestida de amarelo.

quando o mundo precisa de paz,
purifico-me e me visto de branco.
mas já não aguento mais!

quero ser rubra, quero ser negra,
quero vestir ouro, vestir prata,
quero ser azul, quero ser lilás.

porque quero todas as cores em mim,
hoje abro-me furta-cor,
pra ser a rosa mais linda do teu jardim.

Pat Andrade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *