Poema de agora: As paisagens no sonho do pássaro-pretérito – @juliomiragaia

As paisagens no sonho do pássaro-pretérito

Um terçado puro e
De faro claro,
A cortar olhos e peles
Das noites de ventos escuros

Amnésica canção
A dormir nas asas do coqueiro
Entre o silêncio
E a solidão
Do quintal

Um farol de velhas borboletas
Empoeiradas,
Senhoras-visagens
Com vestidos aromatizados de cebolas
E alhos

E tu, nas margens
E no centro
Dos versos e dos berros
Deste pássaro-pretérito
Entre cirandas e restos de vinho

Júlio Miragaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *