Poema de agora: As tetas da negritude (Obdias Araújo)


As tetas da negritude
Cheias de viço e saúde,
Todas tinham a virtude
De alimentar amiúde
Os bruguelos do patrão.
É por isso que a nação
A que chamamos Brasil
É um povo varonil
Mistura de muitas raças.
É um país de desgraças,
Maniqueísmos, trapaças,
Sem-vergonhices, chalaças
Um tal de ganhar-no-grito.
Mas é um país bonito.
E por isso eu acredito:
Se aprender a votar,
Eleger o líder certo,
Vou querer estar por perto
Pra ver meu povo cantar
O seu Hino da Vitória!
Então veremos a Glória
Que o povo não é cretino
É por isso que a preta
Alimenta em sua teta
O albínico menino
Ícone de um povo inteiro.
Por isso eu digo e repito
-Acompanhem-me no grito
:VIVA O POVO BRASILEIRO!

Obdias Araújo
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*