Poema de agora: astronauta – @stkls (Vídeo e voz de Áquila Almeida)

astronauta

há dois dias atrás li no correio da manhã
a noticia sobre os astronautas
que mandaram pro espaço uma astronave
chamada saudade
sorri como daquela vez primeira
quando provei do sal do mar
esses astronautas são os bichos mais agarrados na saudade
eles ficam horas emprestando seus corpos
à gravidade zero do espaço
e brincam que são pássaros azuis
no peito de um bukowski
e se alimentam de sol
para iluminar as fotografias de seus dias
armazenadas nos músculos de seus estômagos
quando a saudade no espaço é escassa
os astronautas viajam para galáxias distantes
quase subterrâneas
e só voltam com seus peitos doloridos
o efeito colateral é a insônia de dez dias
onde perdem o fôlego em transe
com queimaduras de terceiro grau
saudade é o mesmíssimo amor fogo
que arde e não se vê
foi no espaço que enfileiraram casinhas roxas
numa rua sem vento ou
cachorros da madrugada
e dentro de cada uma há alguém
metendo o dedo na ferida
de uma bigorna a qual chamam de solidão
e eu chamo de: pegar o ventilador
e fazer ventar estrelas

Pedro Stkls – Vídeo e voz de Áquila Almeida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *