Poema de agora: Bailarina – Ana Anspach

Bailarina

É de tirar o fôlego
Ver você se movimentar
Como se pisasse
Nas nuvens
Com certeza
Seus movimentos
São orquestrados
Por anjos
Que movem
Os cordéis
Que te ligam
Ao céu
Teu corpo
É a ferramenta
Perfeita
Criada por deuses
Para despertar desejos
E arrebatar corações
Enquanto dança
A lua para de brilhar
Para não ofuscar
Seus olhos
E as estrelas
Tentam sem sucesso
Acompanhar
Suas piruetas
Tu és feita
De sonho
E fantasia
Eternizada
Na imaginação
Dos homens
Que sonham
Em decifrar
Seus gestos
Quando a cortina
Cai.

Ana Anspach

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *