Poema de agora: Bardólatra Urubu – @juliomiragaia

Bardólatra Urubu

Entre o céu e a terra
Há boletos a pagar
Filas para receber auxílio
Emergentes e emergenciais
Solidões

Entre o céu e a terra
As emergências lotam
Na mesma proporção
Dos ônibus lotados
E do cansaço das pessoas

Não há vagas
Nem bares abertos
Aos que sobrevivem
E submergem
À espera
Entre esse céu
E entre essa terra

Há mangas, lixo
E carcaças de gatos
Que apodrecem
Misturando-se à lama
E a resto de asfalto,

Há fome e esperança
Rouca
No vazio das despensas
E geladeiras enferrujadas
Das áreas de ressaca
E das periferias

Entre o céu e a terra
Chove violentamente
Nas penas pretas e sedosas
de um paralisado
E aparentemente sábio urubu

A ave-zona-norte observa,
Do topo de um poste,
Mais coisas que supõe
A tristeza, o precipício
Ou o desespero
De nossa vã filosofia

Júlio Miragaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *