Poema de agora: Bênção ao verso – Jaci Rocha

Bênção ao verso

Que seja chama
Posto que eterno
Desentranhamento da normalidade

Que seja pássaro
E sobrevoe a tempestade
Escorra em sentimento
– a unica coisa digna da eternidade.

Que seja imoral, normal ou anormal
Político, clichê – até mesmo aliteral
Só não sejas rima vazia
Feita para aprisionar olhos e mentes vãs…

Que vibre dentro do peito
Fluidez, liberdade, sentimento.
Verso em curta ou longa-metragem
Só não seja estético e asséptico

(Isso já seria sacanagem)

Entre tantas formas e ideologias
Que a tua militância seja mesmo
Além do simples existir e dispor
Ir e estar aonde o amor for.

Jaci Rocha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *