Poema de agora: Bye, bye, Belém – Pat Andrade (em homenagem aos 403 anos da capital paraense)

Bye, bye, Belém

Meus passos de novo…
Não mais Cidade Velha.
Não mais Bengui.
Não mais Bar do Parque.
Não mais Feira do Açaí.
Mesmo assim,
Do velho cartão postal,
Belém acena e me sorri.

Patrícia Andrade


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *