Poema de agora: CALENDÁRIO ANTIGO – Pat Andrade

CALENDÁRIO ANTIGO

dos meus anos primeiros
carrego memórias sutis
beijos tímidos em janeiro
mãos dadas em abris

nas minhas melhores lembranças
sinto saudades juninas
costas queimadas em julhos
e depois agostos de alegrias

também tive desencantos
à beira do rio Tocantins
vi meu coração partido
amanheciam novembros gris

saudade maior dos dezembros
mas o que se foi, já esqueci
parei de tentar lembrar
para poder brincar de ser feliz

PAT ANDRADE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *