Poema de agora: Calor – @ThiagoSoeiro

Calor

prendo o ar
até esquecer do mundo lá fora
dos perigos iminentes
em qualquer esquina

dos amores esquecidos
é permitido usar palavras de afeto
mas não é permitido esquecer
o nome do seu primeiro amor

não dá para confiar
em quem nunca liga no dia seguinte
os dias de inverno são mais quentes

quando você aparece nos meus sonhos
o poema é sempre mais quente
com você dentro dele.

Thiago Soeiro

  • Afinal, toda poesia merece ser isso: mensagem bem chegada, bondade, calor de amor, que chega, dentro dos olhos, da gente, dos sonhos.
    É só dentro dessas coisas -tão puras – que um poema faz sentido. Belíssimo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *