Poema de agora: CANTO IN [BLUES] (de Marven Junius Franklin para Fernando Canto)

Marven Junius Franklin e Fernando Canto

CANTO IN [BLUES] – Para Fernando Canto

I

Podia
– sem hesitar –
lhe consagrar
no altar-mor da gratidão
as andorinhas-de-bando
que em seu voejo singular
abrolham feitios
em meus poemas-blues

(majestosos girassóis
de minh’alma
que provocam claridade ao
alpendre de minha escrita).

II

Ah, lhe dedicar!
A sombra dos tamarindos
da anosa Vila Martinica

(a névoa majestosa
que nos rega
desde do crepúsculo
até o alvorecer).

III

Porém
lhe oferto
– de bom grado –
o meu rio

(o rio de minha literatura
a quem dedico todos os lirismos
possíveis).

Pois esse rio
– meu mano –
tem a caudalosidade generosa
de sua alma e a perenidade
secular de sua obra.

Marven Junius Franklin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *