Poema de agora: Canto Marginal – Marven Junius Franklin

Canto Marginal

pondero
que qualquer dia
retrocedo às prática marginais

(e unido
aos meus antigos cúmplices
tirarei da inércia uma antiga parceira)

[eu]
Sancho e Quixote
embraveemos outra vez
lutas inolvidáveis contra anfibológicos
moinhos de vento.

nos aguardem!
Dulcinéias esquálidas
e impérios desalumiados

(pois a hoste de abstrações
açoitará suas portas de presunção).

Marven Junius Franklin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *