Poema de agora: CARROSSEL – Annie de Carvalho

CARROSSEL

Um carrossel
desbotou-se
(em preto e branco)
no pátio do parque
em meio a cidade
florescente.
(Gira ainda sua estrutura,
mas parece não
mover o tempo).
Carece de ciranda,
padece de silêncio.
Um dia brincou;
hoje é paisagem antiga.
Espólios de infâncias esquecidas.
Em meio aos circuitos
da moderna rotina
o carrossel move sua nostalgia.

Annie de Carvalho


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *