Poema de agora: CHUVA ESQUISITA – @Alyne_Monteiro (na voz de @manudosertao)

CHUVA ESQUISITA

Uma vez ficou com tanto medo da chuva
que chorou um choro desesperado mesmo
O pavor era de que aquela chuva forte
já na calçada de casa
invadisse sala adentro
e submergisse sofás e a estante velha de livros
e talvez com mais alguns segundos atingisse
o teto e as lâmpadas
Enquanto soluçava trêmula de medo
reparava o vidro de conserva com flores
de plástico afogadas em um líquido cor de rosa
Queria aquela chuva esquisita
fazer com a casa o que a
água cor de rosa fez com as flores?

Aline M. (voz e vídeo áquila e.)


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *