Poema de agora: CONFISSÃO – Pat Andrade

CONFISSÃO

preciso confessar
meus pecados todinhos:
às vezes, como demais
guardo sempre uns centavos
cobiço o gato do vizinho
detesto gente falsa
quero ficar mais bonita
tenho tesão de manhã cedo
quero dormir mais um pouquinho
me condene, se for capaz
de não pecar nem um tiquinho

PAT ANDRADE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *