Poema de agora: Despertar – Pat Andrade

DESPERTAR

a chuva escorre em mim
borra o batom carmim
pintado na boca molhada

descarto planos de fuga
rasgo mapas sem trajetos
redesenho alegrias

resgato o desejo de vida
desperto a esperança
que julguei perdida

em silêncio agradeço
enquanto adormeces
nos meus braços

Pat Andrade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *