Poema de agora: Didilhar-te (@Claravieira)

Yas

Didilhar-te.

Teimo em virar a página
Mas em tudo que eu escrevo
Vejo as palavras desenhadas e tortas
Que teimam deitar no teu corpo branco,
minha lousa.

Teimo e escrevo nesse corpo-anjo
Em cada parte, partitura
Desenvolvo letra e música
Ritmo exato, me arrepio.

Eu sei de cór
Cada nota, um sinal, eu sei de cór
De nota em nota, em sol maior
Desenho o riso que me beija.

Toco-te nota por nota
Dedilho cada história nossa
Que nesse corpo luz
Vai do blues ao samba.

Mergulho fundo no verde
É ali que pinto e bordo
No verde, escrevo e danço.

Clara Vieira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *