Poema de agora: Enigmas do Espelho – Jaci Rocha

Enigmas do Espelho

Universo complexo, mundo disperso,
Tudo em que toco seria o que realmente vejo?
Nem me lembro da última vez em que não duvidei…

É que o espelho me diz que do avesso é como a face se parece!
e que o rosto que ri na imagem
É um tipo de ‘eu ao contrário’…
– Ou seria só miragem?

Então, por que será que a gente cresce
Sem se perceber ?…

Depois desta constatação,
dei de olhar desconfiada para o reflexo
Suspeito que a qualquer hora, se moverá, per si
Alma que não movi,identidade alheia a mim…

– Deves me achar louca, bem sei.

E até confesso que já cometi loucuras
Perco tempo a entender cada ângulo de um quadrado
Há tanto cuidado, pois, no cotidiano de espelhos quebrados
Tudo é avesso ou lado?

Será que fui para o verso errado
Da última vez em que te vi?
Será que num outro unir de verbo
Onde mudei o bater de minha asa

Tu ainda estás em casa?

Será que não estou dentro de um paradigma?
Ou existo num tipo de estranho enigma?
Numa Matrix onde nem mesmo percebo?
Presa em metáforas,

feito ‘Alice, através do espelho?’

Jaci Rocha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *