Poema de agora: Epifania num fim de tarde – Jaci Rocha

Foto: Elton Tavares

Epifania num fim de tarde

Estas horas mornas
Onde o vento faz a curva lentamente
E o silêncio dá lugar
Ao zum zum zum do espaço
Os meninos batem bola pela rua
E a tarde cai, sem pressa de chamar a lua…

Estas noites cálidas
Como o sopro de um anjo manso e preguiçoso
Que leva e traz o canto da curica sonolenta
No tempo-espaço que se modifica
Faz a gente repensar a vida…

Perguntar o por que de tanta pressa,
Pra quê a urgência da chegada,
Se o sol nasce e renasce pela estrada
E ‘ às seis’ pode se um dia qualquer…
Se a pressa do encontro
Não acelera o curso da maré (Que a gente é)

Que a gente é
Como esse rio
Como esse vento
E esse dia, que bonito e lento
Cumpre sua missão…

Jaci Rocha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *