Poema de agora: ESTRANHO EMUDECIMENTO – Marven Junius Franklin

Imagem: Gilbert Garcin

ESTRANHO EMUDECIMENTO

Ah, estranho emudecimento!
Que sai da boca dos injustiçados
(que brota do seio abrasador das nuvens gris).
E esse arrastar de caixas?
E esse toque de sirenes?
E esse medo estampado nos semblantes macilentos?
Ah, que estranho rumor é esse?
Que ouço vindo das esquinas:
Corte abrupto!
Lagrimado oco!
Ais e vociferações!
Ah, que estranho silêncio esse?
De bramido ensurdecedor…
Que destrói decências e percepções de perda.
Ah, silêncio!
És a paz dos enlouquecidos [que jazem nauseabundos]
em covas rasas do desamparo.
O silêncio das formas… das horas… das flores mortas!
O silêncio do riso… do esquecimento!

Marven Junius Franklin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *