Poema de agora: Eva(cu)ar – Lara Utzig


Eva(cu)ar

Recentemente assisti a uma entrevista:
Nela, com um ar que lhe é peculiar,
Dercy Gonçalves enumerava, em uma lista,
Que as melhores coisas são: comer, dormir e cagar.

Ora, a respeito de tal testemunho
Refleti e cheguei à conclusão
De que sobre tal opinião e por seu cunho,
A senhora estava coberta de razão

Principalmente no que se refere ao ato
De expelir do organismo
O barro que maltrata o olfato:
Uma espécie de exorcismo.

Aquilo que não possui serventia
É logo expulso do corpo.
Defecar é pitoresca alegria
E um legítimo aborto;

A maneira mais fácil de se libertar
Daquilo que já não faz mais sentido.
Tudo que está, em vão, ocupando lugar,
Deveria ser logo banido.

Mas o ser humano tem uma dificuldade tremenda
De abandonar de vez o que já não serve,
Talvez por tradição, mito ou lenda,
O que é pretérito ainda se conserve.

Se cagam brancos, cagam pretos,
É porque bosta não se armazena.
Emendas são piores que sonetos,
Pois o passado também aliena.

A sábia Dercy deu o bolo e, bem acima, a cereja:
Mesmo que doa ou arda a despedida,
Por mais complicado que seja,
Livre-se das merdas de sua vida.

Lara Utzig 
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*