Poema de agora: “Homo Reclusus” e o Medo da Morte – Rafael Masim

“Homo Reclusus” e o Medo da Morte

é no medo da morte
que reside a salvação da humanidade.

acuados feito coelhos,
permanecem os humanos
enclausurados
refletindo sobre a vida.

querem agora abraçar a todos,
amam a Deus sobre todas as coisas
e estão temporariamente preocupados
com o próximo.

“maldito vírus!”
xingam pela janela.
querendo sair a rua
e contemplar as coisas belas,
e até mesmo as inúteis.

sentem agora saudade da natureza.
apreciam o pôr do sol
e já nem reclamam tanto da chuva.

“Homo reclusus”
orando aos céus,
Zeus, Deus, Poseidon
e a quem mais puder lhes proteger.

como um cão
que faz um circulo antes de deitar,
caminham os homens pela casa,
como se a casa fosse agora um labirinto
do qual precisam encontrar a saída.

culinária, carpintaria, crochê.
regar as plantas, arrumar a casa.
tentativas de solução
para fugir do labirinto doméstico.

quisera Deus ter visto tudo isso
sem precisar da ajuda de um vírus.
talvez Ele esteja lá.
sorrindo agora,
imaginando que ainda há salvação
para esta humanidade.

talvez Ele planeje
lançar um vírus com mais frequência
para apaziguar o mundo
e proteger a natureza.

Rafael Masim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *