Poema de agora: IN(en)FORMANDO – Ori Fonseca

IN(en)FORMANDO

Alguns amigos meus não gostam de soneto,
Reclamam de que a forma os deixa bem mofinos.
Então, deixem-me agora, em mais alexandrinos,
Dizer-lhes que universos cabem num quarteto.

Se amam verso branco, eu amo verso preto.
A rima está no gueto e fala dos meninos,
No rap, no hip hop e causos nordestinos.
Então, segura a mão, que agora é “cuns terceto”.

Cantando o amor, a chuva, o Golpe, o desemprego,
Poemas são buracos negros, e eu sou só
Um preto corpo estranho a desfazer-me em pó.

Contudo, se o soneto é-te um desassossego,
O bicho vai pegar de novo, viu, meu nego?
Vai ter balada, trova, ode, haikai, rondó!

Ori Fonseca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *