Poema de agora: JOSUÉ ( Obdias Araújo)


JOSUÉ

Matronas que passais 
arrastando vossas pencas 
deixando atras de si 
um rastro de intriga 
e de patchuli.
Colarinhos duros! Corpos balofos! 
Impotentes que trazeis as faces 
amarelecidas pela falta de sol! 
Vampiros! Cúmplices da escuridão! 
Sacerdotes do espúrio! 
Lancem sobre mim 
o fel de vossos negros corações!
Rasguem meu manto! Cantem meu pranto! 
Fazei cessar meu grito! 
Derribai meus escombros porque vossa vitoria 
jamais será completa! 
Eu voltarei! Estarei de horizonte a horizonte!
Serei os quatro ventos 
e toda a horda verá o sorriso do meu filho 
– estandarte drapejando 
à luz do sol 
que nasce 
e que me traz consigo! 

Obdias Araújo
Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*