Poema de agora: Kuatro – Luiz Jorge Ferreira

Kuatro

Eu uso a língua dos Anjos para falar com os Abutres.
Tenho pressa, pois as lágrimas que tenho estão secas e tem sede.
Voam a Lua, voam ao Sol, e retornam sós com azuis no olhar.
Lembram de coisas podres, de peixes sujos no mar.
E sempre convidam para que eu corra na chuva.
E ela lave a solidão que em mim cresce como uma corcunda.
Eu apenas coloco o despertador para que toque as 5:45.


Embrulho meus sonhos com um Ededron Lilás.
Fecho a janela, e deixo o Sol preso na veneziana.
Apago então os Abutres com uma borracha escolar.
Depois como cachorro não late, e a casa está vazia.
0 silêncio sobe as escadas, e desliga a televisão.

Luiz Jorge Ferreira.

*Do Livro…O Avesso do Espantalho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *