Poema de agora: Mapa de esquecimentos – @ThiagoSoeiro

Mapa de esquecimentos – Thiago Soeiro

Sigo a trilha de açúcar se movimentando no chão da cozinha
como quem segue seu destino na vida
quebro a trilha com o dedo
faço um corte no caminho
a parte que vinha atrás ficou perdida
um bando de formigas pretas
paradas no caminho quebrado
como quem fica sem reação com um baque do destino
descobri naquela tarde que
há muito de formigas em nós
também não sabemos refazer tão rápido os caminhos
leva um tempo até você saber se encontrar
outro dia perdir um poema bem no meio de uma frase
e ainda não sei como seguir
há dias me incomoda essa falha
essa interrupção de pensamento
essa perda
as formigas reencontram o caminho pela janela
uma a uma com suas recompensas
as pedras de açúcar nas
costas como um troféu
volto ao poema ainda perdido
na esperança de encontrá-lo
na página branca que ainda está escrito:
Será que onde as formigas moram existe mar?

Compartilhe isso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*