Poema de agora: Maru e Anum – @ManoelFabricio1

Maru e Anum

Da metade + 1
Queria da um pulo contigo
Lá no Maruanum

Me embalar, até o punho
Rasgar
Cair no chão
Rir pra ñ chorar

Levantar e ir colher o lírio roxo
Pelos campos l1
Deixando os sentidos pelo caminho

Registro do nome pela oralidade
Feijão cozido na louça de barro
Da um gosto de saudade

Preta índia
Índia preta
Ñ há registro de mulher mais linda
na literatura do planeta

Manoel Fabrício

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *