Poema de agora: MULHER DE AREIA – Patrícia Andrade

MULHER DE AREIA

ao longo da vida
lágrimas rolaram
ventos sopraram
se desmanchava
bem devagar…
era feita de areia
e não sabia

vieram as rugas
a memória se foi
os braços penderam
as pernas não se movem

o coração exposto
agoniza e sofre
dilacera e grita
sem haver quem ouça
sem haver quem sinta

forjada na dor
já não reage
já não resiste
se entrega ao mar
e se ergue nas ondas
que morrem na praia

Patrícia Andrade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *