Poema de agora: Música, corpo e madrugada – @juliomiragaia

Música, corpo e madrugada

Tua dança
Transborda
Serpentinamente
Num abismo quente
E noturno
De excitação

Tua pele,
Teus ossos
E espírito
Mergulham
Apaixonados por ti
Para dentro
E somente de ti

És uma pantera
Que de tão
Fêmea
És
Fruto
E fera
De um bruto
Beijo
No escuro

Descansas
Tua cintura
Diabólica e bela
Entre o silêncio
E teus sussurros:
Equinócios

És de um mel
Selvagem
E bélico
A precipitar
O que desejo
Em cada gota
Desta língua:
Em pororoca

Júlio Miragaia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *