Poema de agora: Náufrago – (@ThiagoSoeiro)

Náufrago

quando comecei este poema
ainda não sabia falar
de como o mar
consome todas as palavras
que são ditas
ao pé do seu ouvido
era cedo demais
pra entender qualquer
urgência da palavra dita
quando comecei neste poema
as palavras faziam onda
em minha cabeça
revoltas em imagens
que só anos mais tarde
eu iria entender
dali pelos próximos dias
de fevereiro
o céu do norte do país
andaria escuro
e ninguém veria em alto mar
o poema perdido
antes mesmo do começo.

Thiago Soeiro


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *