Poema de agora: O ACOLHEDOR – Arilson de Souza

O ACOLHEDOR

Perdi meu chão.
Senti o peso do mundo em mim.
Gritei, chorei
e me convenci que era o fim.

Mas na turbulência da escuridão
Eis que me surge a Luz…
a luz que liberta e traz salvação
A luz do mundo: JESUS !

Bendito és tu,
Cordeiro da paz!
Trouxeste – me a luz
e me acolheste em teu cais.

Bendito és tu,
onde me acolho e me guardo,
Pois teu jugo é suave,
e leve é teu fardo!

E minha vida se transformou.
Meu mundo de trevas
no passado ficou.
Do pecado não sou mais escravo:
Meu CRISTO me libertou!

Bendito és tu,
Cordeiro da paz!
Trouxeste – me a luz
e me acolheste em teu cais.

Bendito és tu,
onde me acolho e me guardo,
Pois teu jugo é suave,
e leve é teu fardo!

Arilson de Souza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *