Poema de agora: Ode à Ismália – (@cantigadeninar)

Ode à Ismália

Se Ismália pode enlouquecer
Também tenho o direito de pirar
Em todas as torres me aprisionar
E assim, por causa de amor, morrer!

Quando então, vier o anoitecer,
Na lua do mar quero afundar,
À lua do céu quero me elevar
Para ver se lá feliz posso ser.

Se por muitas vezes devaneio
É porque me inspira Ismália…
Para quê imprimir falso freio?

Um destino melhor? Pois eu creio
Mesmo com infinita represália!
Para que viver nesse podre meio?

Lara Utzig

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *