Poema de agora: PÁSSARO-GUIA – Pat Andrade

PÁSSARO-GUIA

nas muitas noites
em que não durmo,
faço viagens ao passado
tão doces,
que quase esqueço de voltar.
[me perco no caminho,
preciso confessar…]
aí, quem me guia
é um estranho passarinho,


que me segue
por onde quer que eu vá
às vezes some,
[acho que vai até o ninho]
mas reaparece rapidinho,
e volta a me acompanhar.
antes que eu durma,
ele me olha lá de longe,
[do passado…]
e com seu canto triste,
chorado,
acaba por me ninar…

Pat Andrade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *