Poema de agora: Pequeno – Luiz Henrique Ferreira

Pequeno

Ao longo do almoço fui abordado por uma mulher.
Que incrível que pareça era uma mãe.
Uma pessoa.
Um ser.

Após um curto diálogo, foi me entregue um pedaço de sua vida.
Uma fagulha com um pouco de angústia.
E com um pequeno fragmento de uma necessidade.
Com isso, surge um pedido.

Não pude ver a cor, densidade, peso e/ou cheiro.
Mas sem ao menos ver, vi.
Não com os olhos, nem com os ouvidos, pouco menos com nariz.
Pude ver através de meu coração.

E feliz fico, ainda bem que o coração não fala.
Se falasse… já estaria gritando e esperneando.
E com a dor, permiti que um pedaço meu fosse junto com a mulher através de pedaço de papel impresso.


E de todo o ocorrido, me senti pequeno, uma gota d’ água em busca de apagar um incêndio que irradia a cidade, mas que apesar das chamas e o alarde, carece de holofotes.

Luiz Henrique Ferreira

*Luiz Henrique Ferreira é amapaense de admiração…por muito ouvir as narrativas de seu pai, o poeta e escritor Luiz Jorge Ferreira, um apaixonado pelo Amapá, onde passou toda a sua infância e adolescência…

E de vez em quando volta aflito com a distância que separa o homem do chão onde deu seus primeiros passos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *