Poema de agora: Perambulando n° 1 – Luiz Jorge Ferreira

Perambulando n° 1

Que tal sentarmos em uma Praça cheia de pombos…e você lhes atirar milho, enquanto eu troco as tiras velhas de minhas sandálias havaianas.
Acontecendo de anoitecer…você se abraça em mim…
Eu sopro morno para aquecer o frio…que aprisionou a lua em seu olhar castanho.
Canto baixinho alguma coisa que tenha rima para a palavra amor.
Ponho-me então a colocar nome nas estrelas azuis.
Apelidos fáceis nos vagalumes amarelos.
E piscar para as nuvens de chuva que espreitam os ventos mais fortes que lhes empurrem para que caiam sobre nossos pés.

Sobre nossas pegadas sonolentas.
Sobre nossas mãos entrelaçadas.
Sobre nossos sonhos estendidos, onde a grama se deixa beijar pelo orvalho.

Que tal sairmos de nós para o nunca.
Há de ser amanhã…
Ou seria agora!

Luiz Jorge Ferreira

 

*Osasco (SP) – Abril de 2021.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *