Poema de agora: POESIA DE RUA – Marven Junius Franklin

Imagem do fotógrafo húngaro Sarolta Bán.

POESIA DE RUA

uma poesia de rua
que discorra a respeito de calçadas
e paralelepípedos
que profira frases feitas [de amor]
e conceba flores aos apaixonados
uma poesia de rua
que converse sobre o tempo acontecido
[de semáforos…e bar]
uma poesia de rua
urbana como o monóxido de carbono
que descreva os meus zepelins imaginários
que nos faça prestar atenção
no arroubo majestoso das
andorinhas de arribação

Marven Junius Franklin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *