Poema de agora: POETAS – Carla Nobre e Eliakin Rufino

POETAS

Poetas deixam vestígios
Por onde passam
Poetas deixam pegadas
Sinais de fumaça
Poetas deixam a língua
Em tremor e alucinação
Pedras e corais no caminho

Poetas deixam pontas de cigarro
E garrafas de vinho
Poetas deixam temperos
Te chamam pra cozinha
Poetas deixam alquimia
Chamam a chuva
Deixam poções
Varinhas de condão

Poetas deixam rastros
Poetas deixam pistas
Impressões digitais
Luz, descobertas navais

Poetas deixam poemas
Deixam catedrais
Deixam espumas
Deixam promessas
Poetas deixam ritos ancestrais

Carla Nobre e Eliakin Rufino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *