Poema de agora: Prenúncio de Particípio Passado – Luiz Jorge Ferreira

Prenúncio de Particípio Passado

Joca pensava que o que engasgava os cães, eram as notas Musicais dos Boleros cantados pelo Trio Los Panchos, saído da boca do rádio que eles porventura engoliam.
Eu lhe disse não…pode ser que seja trechos do Discurso de Mao, vindo pelo Mar Báltico.
Ou podem ser solfejos de D.Generosa cantando Marabaixos.

Joca colocava o radio sobre o peito e cochilava, até que a lua entrasse pela janela entreaberta de frente para a rua atravessada por uma vala, atravessada por uma ponte improvisada, atravessada por um Janeiro calorento, e uma multidão de cachorros magros e pulguentos que solfejavam em Dó Sustenido Menor…cantando uma Canção de muitas notas que eles mordiam e para se livrarem delas…uivavam de um modo estranho que acordava Joca.

Acordava Alípio, acordava Veríssimo, acordava Adilson, Álvaro, o vizinho da perna de madeira de lei, e João Santos que saía em busca de água pura, levando uma garrafa perfumada de Gengibre.
Lá no final da rua subindo em direção da Igreja caminhava o tempo abraçado ao futuro.
Por lá ficava um muro repleto de meninos ameninadas, e um pouco da miséria da vida estacionada em uns barracos…

Os padres dentro da Igreja nem imaginavam que Deus pudesse falar com os cães da vala que cantavam uníssonos…Árias e Louvores.
Eu me acordei também…

Procurei os meus chinelos e vi que tinham saído, procurei por meu passado, e vi que tinha saído, procurei por mim, e vi que tinha saído procurei pela vida, e vi que tinha se reunido a todos, e retirava o som de dentro dos olhos dos Morcegos que sugavam mangas…

Desliguei o rádio, cruzei os braços, vi então que tinham nascido asas nas minhas costas, onde havia Acne, e que por fim…essa abandonará a minha vida.
Voltei ao quintal,
e vomitei a alma.

Luiz Jorge Ferreira

  • Este Poema é algo FANTÁSTICO Querido Amigo Poeta Maior, Luis Jorge,eu vou Compartlhar á exaustão a todos os Poetas possíveis.Eu serei redundante em te dizer que és um dos Maiores Poetas que conheço!

  • Grandioso! Emocionante! Cheio, transbordando amor, talento, verbo, substantivos da poesia que aprofunda os sentimentos, faz sangrar e sorrir. Obrigado meu querido escritor. Poeta de prumo e rumo. Que o amor daqui da terra lhe abrace sempre. Obrigado por poesia tão forte, madura e certeira. Forte abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *