Poema de agora: reminiscências – Pat Andrade

reminiscências

se chegarem flores na tua casa
não fui eu que as mandei
se o carteiro chamar teu nome
o remetente não sou eu
não encontrarás bilhetes
ou retratos do nosso amor

mas te peço que fiques atenta
aos crepúsculos da tarde
eles te oferecerão cores
que só quem ama pode ver

procura no céu as últimas estrelas
elas vão sussurrar nossos segredos
observa o brilho nas águas do rio
ele vai refletir os olhares
que trocamos em cumplicidade

quando estiveres sozinha
no jardim delicado da memória
a luz da lua vai atravessar as folhas
ela escreverá nossa história
no idioma singular dos amantes
e saberás do nosso amor bem mais
do que eu jamais poderia te dizer

Pat Andrade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *