Poema de agora: Resolução (Obdias Araújo)


Resolução
 
Vou deixar de agir 
feito um inseto 
volteando em torno 
do nada.
Vou tocar trombetas 
hastear bandeiras 
reler manifestos 
promover comícios 
ao redor de mim.
Fazer mil festinhas 
ter dez mil ninfetas 
umas para uso 
outras pra dançarem 
ao redor de mim.
Não dá mais para viver assim 
feito uma coisinha desgraçada 
como quem nunca viu 
as borboletas amarelas 
do Tio Alcy. 
 

Obdias Araújo

 
* O poema é do Obdias, o “primo de loucos-varridos-da-porta-da-igreja e parente de punha-mesas” (como disse o Fernando Canto), mas o faço minhas as palavras dele. Bora viver!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *